news

Terramoto: Sant'Egidio e Câmara Municipal de Amatrice assinam um memorando para apoiar os idosos

20 Dezembro 2016 - AMATRICE, ITÁLIA

ELDERLYearthquake

"Favorecer a permanência no contexto habitual de vida: o renascimento da cidade após o terramoto também passa através de sua memória histórica"

Compartilhe Em

Foi assinado esta manhã um memorando de entendimento entre a Comunidade de Sant'Egidio e a Câmara Municipal de Amatrice (a cidade da região central da Itália atingida por um terramoto devastador no verão passado) para apoiar a população idosa da cidade atingida pelo terramoto a 24 de Agosto passado. O projeto, realizado pela Comunidade, em conjunto com a Enel Cuore, inclui medidas para fortalecer o tecido social do território, a fim de encorajar as pessoas idosas a permanecerem no contexto habitual de vida ou, pelo menos, em lugares o mais próximos possível dos ambientes familiares perdidos. Sant'Egidio, com a contribuição da Câmara Municipal, está disposto a realizar uma central telefónica e um ponto de encontro para os idosos, com horário de funcionamento durante o dia, envolvendo os idosos auto-suficientes em ações de apoio em favor dos que estão em maiores dificuldades.

São previstos também projetos personalizados para facilitar o regresso das pessoas idosas actualmente institucionalizadas nas unidades habitacionais colocadas no território do município de Amatrice. A assinatura do memorando, contou com a presença do edil Sergio Pirozzi que sublinhou "a importância do projeto numa situação que continua a ser muito difícil", enquanto Cesare Zucconi e Olga Madaro, para a Comunidade de Sant'Egidio, explicaram que "mesmo a partir dos idosos vai renascer Amatrice porque são eles que representam a memória histórica e os alicerces, portanto, para a sua reconstrução". De acordo com os dados do ISTAT, em 1 de Janeiro de 2016 a população de Amatrice era de 2657 com 850 pessoas com mais de sessenta e cinco anos (32% da população total), e 488 pessoas com idade maior de 75 (18,3%), incluindo 69 com mais de 90 anos. Muitos idosos, após os terramotos de 2016, perderam tudo: a casa, afetos, amizades, mas não querem se afastar.

Quem se salvou procura todas as maneiras para ficar ao lado dos escombros da própria casa, a horta, os animais, tudo o que é e sempre foi a "vida", muitas vezes preferindo esses abrigos improvisados, aos muito mais adequados, mas mais distantes, disponibilizados pelas instituições. A Comunidade de Sant'Egidio está presente na área de Amatrice desde o dia do terramoto com um suporte para os idosos hospedados na RSA de Borbona.