news

Máscaras "altruístas", compras solidária, refeições para os sem-abrigo e muito mais: Sant'Egidio luta o Covid-19, ao lado dos mais frágeis

7 Abril 2020

Solidaritycoronavirus

Reportagem sobre as iniciativas das Comunidades em todo o mundo para combater o avanço do coronavírus

Compartilhe Em

Há também eles, na vanguarda da batalha contra o vírus: os voluntários. São muitos, mesmo que não se mostrem muito: eles se movem sem ordem certa, seguindo escrupulosamente as regras para evitar qualquer risco, para si e especialmente para os mais frágeis, que fatigam para se protegerem a si mesmos, como todos, nestes dias, somos chamados a fazer.
Queremos contar algo sobre o trabalho deles, porque, à medida que a pandemia se espalha, estão a se multiplicar as formas de presença ao lado dos mais pobres, dos idosos, dos que não têm casa, dos que precisam de comida: principalmente a distribuição desses equipamentos de protecção individual , como máscaras, desinfectantes e sabão, que são a primeira barreira contra o vírus.
Em muitos países, as máscaras não são encontradas em nenhum lugar ou são muito caras.
Mas isso não significa que nos devamos resignar a deixar os mais pobres desprotegidos.
Medidas de segurança, distribuição de sabão, desinfectantes, máscaras, instruções para se proteger: estas são as ajudas que os voluntários oferecem nestes dias nos centros de Sant'Egidio para aqueles que vêm pedir ajuda, em qualquer lugar do mundo. Mudam os rostos e os lugares, mas não a determinação de proteger todos.
Na refeitório dos pobres de Sant'Egidio, em Roma,
onde é possível entrar com uma fila ordenada, marcada por grandes faixas brancas no chão, as máscaras são distribuídas para os que vem comer. As mesmas medidas de segurança são observadas em outros refeitórios dos pobres da Comunidade, de Lucca a Antuérpia, de Jacarta aos centros nutricionais de Moçambique.
Os jantares itinerantes são o dom mais querido pelos quem não tem casa. A entrega de refeições na rua também representam uma oportunidade de explicar a quem não tem casa, as medidas de segurança a serem tomadas para se proteger da infecção. Para quem tem dificuldade em lavar as mãos, é oferecido o gel desinfectante. Para todos, um pequeno suprimento de máscaras, por alguns dias, até a próxima visita.


A necessidade é grande, ou melhor enorme. A ajuda de todos é necessária. Na Itália, a ajuda veio das comunidades chinesas, que enviaram máscaras para os pobres, mas a emergência é longa e todos devem ser garantidos. Por esse motivo, um pouco em todas as Comunidades de Sant'Egidio no mundo, também foi iniciada uma produção massiva de máscaras, tanto de tnt (tecido não-tecido) quanto, aonde não disponível, de algodão. Elas são produzidos "em casa", seguindo regras precisas de produção e saneamento, compartilhadas graças à web. As mãos experientes dos idosos costumam ajudar, enquanto os mais jovens começaram "uma arte" até recentemente desconhecida.

As refeições também são entregues de acordo com as rígidas regras de higiene.Os alimentos são embalados em porções únicas em recipientes especiais e entregues sem serem tocados.
O vídeo nos leva a Kiev, na Ucrânia,onde a ajuda para quem mora na rua ultrapassa os limites da cidade e chega aos bosques onde os mais pobres se refugiam. A visita dos amigos da Comunidade, num local tão remoto, não é apenas a resposta a uma necessidade, mas um consolo e uma mensagem que todos precisam receber, especialmente neste período: “Não vos deixaremos sozinhos!”

 

Na emergência coronavírus não queremos deixar ninguém sozinho.

Por isso precisamos da sua ajuda.
Pode doar online
.

Obrigado!