news

COVID-19 e a variante Delta em África: uma situação alarmante

3 Agosto 2021

Dream
EmergencycoronavirusCovid-19

Compartilhe Em

A situação sanitária em África está a deteriorar-se. De acordo com as últimas estatísticas sobre a pandemia da COVID-19, estamos perante uma aceleração sem precedentes no continente. 


A variante Delta começou a correr e é realmente assustadora, especialmente tendo em conta que as vacinas só atingiram 1% da população enquanto a OMS faz soar o alarme: "As vacinas são necessárias imediatamente".

Tanto a porta-voz da Organização Mundial de Saúde Matshidiso Moeti como o director-geral Tedros Adhanom Ghebreyesus disseram que a situação em África é preocupante e que a escala da terceira vaga está a atingir o continente a uma velocidade sem precedentes.

Os casos de COVID 19 duplicam de três em três semanas e só na última foram comunicados cerca de 202.000 casos, um dos piores números de sempre. Tanto o número de novos positivos como o de mortos esta semana são quase 40% mais elevados do que na semana anterior.

DREAM, neste momento difícil, continua a colaborar com os governos africanos, contribuindo concretamente para o rastreio da doença, para a sensibilização da população, para a formação de profissionais de saúde e para as vacinas.

Alguns dos nossos centros tornaram-se verdadeiros pontos de referência na luta contra o vírus. Um exemplo principal é o centro DREAM na República Centro-Africana que, embora continuando a realizar as suas actividades normais, foi escolhido pelo governo como um dos pontos de vacinação COVID do país.

Além disso, os nossos laboratórios no
Malawi e em Mozambico, continuam a trabalhar para diagnosticar a infecção pela COVID 19 no maior número de pessoas possível, e o nosso centro na República Democrática do Congo, em Kinshasa, tornou-se também um centro de vacinação.

O objectivo de DREAM, presente no continente há 20 anos, continua a ser o de garantir o acesso aos serviços de saúde a uma população cada vez mais numerosa. Está também a avançar nesta direcção para este novo desafio à pandemia, permitindo a igualdade de acesso a testes e vacinas.