Oração do Dia do Senhor

Compartilhe Em

XX do tempo comum
Memória de Santo Estêvão (+1038), rei da Hungria. Converteu-se ao Evangelho e promoveu a evangelização do país.


Primeira Leitura

Isaías 56,1.6-7

Eis o que diz o Senhor:
«Respeitai o direito, praticai a justiça,
porque a minha salvação está mesmo a chegar,
e a minha vitória prestes a aparecer.

Quanto aos estrangeiros que se converterem ao Senhor,
para o servirem e amarem e serem seus servos,
se guardarem o sábado sem o profanar,
e forem fiéis à minha aliança,

hei-de conduzi-los ao meu santo monte,
hei-de cumulá-los de alegria na minha casa de oração;
os seus holocaustos e sacrifícios ser-me-ão agradáveis sobre o meu altar,
porque a minha casa é casa de oração,
e assim será para todos os povos

Salmo responsorial

Salmo 66 (67)

Ao director do coro. Com instrumentos de corda.
Salmo. Cântico.

Deus se compadeça de nós e nos abençoe,
faça brilhar sobre nós a luz do seu rosto.

Sejam conhecidos na terra os teus caminhos
e entre as nações, a tua salvação!

Que os povos te louvem, ó Deus!
Todos os povos te louvem!

Alegrem-se e exultem as nações,
porque julgas os povos com justiça
e governas as nações sobre a terra.

Que os povos te louvem, ó Deus!
Todos os povos te louvem!

O campo dá os seus frutos.
Deus, o nosso Deus, nos abençoa.

Que Deus nos abençoe;
e o seu temor chegue aos confins da terra!

Segunda Leitura

Romanos 11,13-15.29-32

É a vós, os gentios, que eu digo isto: exactamente como Apóstolo dos gentios que sou, enalteço este meu ministério, para ver se provoco o ciúme dos que são da minha carne e salvo alguns deles. Porque, se a sua rejeição serviu para a reconciliação do mundo, que irá ser a sua admissão senão uma passagem da morte à vida? É que os dons e o chamamento de Deus são irrevogáveis. Outrora vós desobedecestes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia, devido à desobediência deles; do mesmo modo, também eles desobedeceram agora, em favor da misericórdia que alcançastes, para que também eles venham agora a alcançar misericórdia. Porque Deus encerrou a todos na desobediência, para com todos usar de misericórdia.

Leitura do Evangelho

Aleluia aleluia, aleluia

Ontem fui sepultado com Cristo,
hoje ressuscito convosco que ressuscitastes;
convosco fui crucificado,
recordai-vos de mim, Senhor, no vosso Reino.

Aleluia aleluia, aleluia

São Mateus 15,21-28

Jesus partiu dali e retirou-se para os lados de Tiro e de Sídon. Então, uma cananeia, que viera daquela região, começou a gritar: «Senhor, Filho de David, tem misericórdia de mim! Minha filha está cruelmente atormentada por um demónio.» Mas Ele não lhe respondeu nem uma palavra. Os discípulos aproximaram-se e pediram-lhe com insistência: «Despacha-a, porque ela persegue-nos com os seus gritos.» Jesus replicou: «Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.» Mas a mulher veio prostrar-se diante dele, dizendo: «Socorre-me, Senhor.» Ele respondeu-lhe: «Não é justo que se tome o pão dos filhos para o lançar aos cachorros.» Retorquiu ela: «É verdade, Senhor, mas até os cachorros comem as migalhas que caem da mesa de seus donos.» Então, Jesus respondeu-lhe: «Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se como desejas.» E, a partir desse instante, a filha dela achou-se curada.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Ontem fui sepultado com Cristo,
hoje ressuscito convosco que ressuscitastes;
convosco fui crucificado,
recordai-vos de mim, Senhor, no vosso Reino.

Aleluia aleluia, aleluia

Homilia

Raramente nos Evangelhos, encontramos Jesus com os Seus discípulos fora da Palestina. Tiro e Sidónia estavam fora dos horizontes de um grupo de hebreus como Jesus e os Seus discípulos. Esta realidade como que de alheação, está expressa no encontro com esta mulher cananeia, uma estrangeira, que implora a cura para a sua filha. No início, Jesus não Se manifesta (diz o Evangelho que "nem lhe deu resposta"), depois, responde de maneira que nos surpreende, com uma recusa: "Não está certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos". São palavras e atitudes que nos surpreendem, provavelmente porque cada um de nós, no fundo, está convencido de já conhecer o Senhor e pouco faz para O conhecer melhor e para conquistar o Seu amor e a Sua amizade. Esta mulher pagã, aparentemente afastada do Senhor, induzida pelo amor pela própria filha "cruelmente atormentada por um demónio", isto é, a resistir a Jesus, trava com Ele uma espécie de luta. Ela, apesar de nunca ter escutado os ensinamentos de Jesus, aprende da sua necessidade, a pôr em prática aquela insistência na oração que Jesus muitas vezes recomenda aos Seus discípulos nos Evangelhos. "Pedi e ser-vos-á dado, procurai e encontrareis, batei e abrir-vos-ão". Esta mulher não se resigna; revolta-se contra o mal, pede, procura e implora ao coração do Senhor por três vezes: "Senhor, filho de David, tem piedade de mim!" e "Senhor, ajuda-me" e, por fim, aquela resposta tão tocante: "Sim, Senhor, é verdade; mas também os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa dos seus donos". São palavras cheias de fé, síntese daquela prece ensinada por Jesus "sem desperdiçar as palavras". E estas palavras suscitam a admiração de Jesus e a Sua resposta: 'Mulher, é grande a tua fé! Seja feito como desejas". Neste Evangelho, Jesus deixa-Se tocar no coração, n'Ele não há alheação à dor do homem, mas o amor, que quando é verdadeiro, ultrapassa qualquer distância. Tanto é que chega a admirar a "grande" fé daquela pobre mulher. Imitemos a sua fé: procurando o Senhor todos os dias, dirigindo-se-Lhe na oração com grande amor e inteligência, intercedendo por quantos estão atormentados pelo medo, pela violência, pelo ódio, pelo desprezo.