Quarta-feira de Cinzas

Compartilhe Em

Quarta-feira de Cinzas


Primeira Leitura

Joel 2,12-18

Mas agora, diz o Senhor,
convertei-vos a mim de todo o vosso coração
com jejuns, com lágrimas, com gemidos.

Rasgai os vossos corações e não as vossas vestes,
convertei-vos ao Senhor, vosso Deus,
porque Ele é clemente e compassivo,
paciente e rico em misericórdia.

Quem sabe? Talvez Ele mude de ideia e volte atrás,
deixando, ao passar, alguma bênção,
para oferenda e libação
ao Senhor vosso Deus!

Tocai a trombeta em Sião,
ordenai um jejum, proclamai uma reunião sagrada.

Reuni o povo, purificai a assembleia,
juntai os anciãos, congregai os pequeninos
e os meninos de peito.
Saia o esposo dos seus aposentos
e a esposa do seu tálamo nupcial.

Entre o pórtico e o altar
chorem os sacerdotes,
e digam os ministros do Senhor:
«Tem piedade do teu povo, Senhor,
não transformes em ignomínia a tua herança,
para que ela não se torne o escárnio dos povos!
Porque diriam: ‘Onde está o seu Deus?’»

O Senhor encheu-se de zelo pelo seu país e teve compaixão do seu povo.

Salmo responsorial

Salmo 113 (115)

Não a nós, ó Senhor, não a nós,
mas ao teu nome dá glória,
pelo teu amor e fidelidade.

Se não, os pagãos vão continuar a dizer:
«Onde está o vosso Deus?»

O nosso Deus, lá do céu,
faz tudo o que lhe apraz.

Os ídolos dos pagãos são ouro e prata,
obra das mãos dos homens:

têm boca, mas não falam;
têm olhos, mas não vêem;

têm ouvidos, mas não ouvem,
e nariz, mas não cheiram;

têm mãos, mas não apalpam,
e pés, mas não andam,
nem da sua garganta emitem qualquer som.

Sejam como eles os que os fabricam
e todos os que neles confiam.

Casa de Israel, confia no Senhor,
porque Ele a todos ajuda e protege.

Casa de Aarão, confia no Senhor,
porque Ele a todos ajuda e protege.

Crentes, confiai no Senhor,
porque Ele a todos ajuda e protege.

O Senhor lembrou-se de nós e nos abençoará!
Abençoará a casa de Israel,
abençoará a casa de Aarão,

abençoará os crentes do Senhor,
tanto pequenos como grandes.

Que o Senhor vos multiplique,
a vós e aos vossos filhos.

Sede abençoados pelo Senhor,
que fez o céu e a terra.

O céu é pertença do Senhor;
mas a terra, Ele a deu aos seres humanos.

Não são os mortos que louvam o Senhor,
nem os que descem ao mundo do silêncio.

Mas nós, os vivos, louvaremos o Senhor
agora e para sempre.
Aleluia!

Segunda Leitura

II Coríntios 5,20-6,2

É em nome de Cristo, portanto, que exercemos as funções de embaixadores e é Deus quem, por nosso intermédio, vos exorta. Em nome de Cristo suplicamo-vos: reconciliai-vos com Deus. Aquele que não havia conhecido o pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nos tornássemos, nele, justiça de Deus.


E como seus colaboradores, exortamo-vos a não receber em vão a graça de Deus. Pois Ele diz:
No tempo favorável, ouvi-te
e, no dia da salvação, vim em teu auxílio.
É este o tempo favorável, é este o dia da salvação.

Leitura do Evangelho

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Todo o que vive e crê em mim
não morrerá jamais.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

São Mateus 6,1-6.16-18

«Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para vos tornardes notados por eles; de outro modo, não tereis nenhuma recompensa do vosso Pai que está no Céu. Quando, pois, deres esmola, não permitas que toquem trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem louvados pelos homens. Em verdade vos digo: Já receberam a sua recompensa. Quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua direita, a fim de que a tua esmola permaneça em segredo; e teu Pai, que vê o oculto, há-de premiar-te.» «Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar de pé nas sinagogas e nos cantos das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando orares, entra no quarto mais secreto e, fechada a porta, reza em segredo a teu Pai, pois Ele, que vê o oculto, há-de recompensar-te. «E, quando jejuardes, não mostreis um ar sombrio, como os hipócritas, que desfiguram o rosto para que os outros vejam que eles jejuam. Em verdade vos digo: já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que o teu jejum não seja conhecido dos homens, mas apenas do teu Pai que está presente no oculto; e o teu Pai, que vê no oculto, há-de recompensar-te.»

 

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Se tu creres verás a glória de Deus
diz o Senhor.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Homilia

Inicia hoje a Quaresma e a liturgia refere a calorosa exortação de Deus: "Voltai para Mim de todo o coração, com jejuns, lágrimas e lamentações" (2, 12). Preocupado pela insensibilidade do povo de Israel, o profeta Joel acrescenta: "Rasgai o coração e não as vestes, voltai para o Senhor vosso Deus, pois Ele é piedade e compaixão, lento para a cólera, cheio de amor e arrepende-Se das ameaças" (Jl 2, 13). A Quaresma é o tempo oportuno para regressar a Deus e voltar a compreender o próprio sentido da vida. A liturgia vem ao nosso encontro com o antigo sinal das cinzas. Enquanto nos coloca na testa um pequeno punhado de cinzas, o sacerdote diz-nos: "recorda-te que és pó e que pó voltarás a ser".
É a verdade sobre a nossa vida: somos deveras pó, humildes e frágeis. Elevamo-nos muito facilmente. E esquecemo-nos que somos pouca coisa. Todo aquele que se eleva e se sente forte, bem depressa se descobre frágil. A cinza na testa recorda-nos a nossa fragilidade. Mas não para aumentar o medo ou a tristeza. Pelo contrário, para nos dizer que esta fragilidade que nós somos é amada por Deus, é escolhida por Deus para realizar o Seu projecto de amor e de paz por todo o mundo.
Nós cristãos, somos chamados a ser sentinelas de paz nos lugares onde vivemos e trabalhamos. É-nos pedido para vigilarmos, para que as consciências não cedam à tentação do egoísmo, da mentira, da violência e do conflito. O jejum e a oração tornam-nos sentinelas atentas e vigilantes para que não vença o sono da resignação que faz com que consideremos inevitável os conflitos; para que não vença o sono da aquiescência ao mal que continua a oprimir o mundo; para que seja derrotado desde a raiz o sono do realismo preguiçoso que nos faz fechar em nós mesmos e nos nossos interesses. No Evangelho que acabámos de escutar, Jesus exorta os discípulos a jejuar e a rezar para se despirem de toda e qualquer soberba e arrogância e para se disporem a receber os dons de Deus. As nossas forças, por si só, não bastam para afastar o mal; precisamos de invocar a ajuda do Senhor. Ele - como amava dizer Bonhoeffer - torna-nos não só bons, mas também fortes para que o amor vença sobre o ódio e a paz sobre a guerra.