Oração pela Igreja

Compartilhe Em

Memória de Marta. Acolheu o Senhor Jesus em sua casa.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eu sou o Bom Pastor,
minha voz as ovelhas escutam,
E serão um só rebanho e um só Pastor.

Aleluia aleluia, aleluia

São Lucas 10, 38-42

Continuando o seu caminho, Jesus entrou numa aldeia. E uma mulher, de nome
Marta, recebeu-o em sua casa.

Tinha ela uma irmã, chamada Maria, a qual, sentada aos pés do Senhor, escutava a sua palavra.

Marta, porém, andava atarefada com muitos serviços; e, aproximando-se, disse: «Senhor, não te preocupa que a minha irmã me deixe sozinha a servir? Diz-lhe, pois, que me venha ajudar.»

O Senhor respondeu-lhe: «Marta, Marta, andas inquieta e perturbada com muitas coisas;

mas uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada.»

 

Aleluia aleluia, aleluia

Eu vos dou um mandamento novo:
amai-vos uns aos outros!

Aleluia aleluia, aleluia

Hoje a Igreja recorda Marta, a irmã de Maria e de Lázaro. Com esta memória, compreendemos a força do Evangelho que transforma o coração e a vida de Marta. Marta é a mulher que acolhe. E realiza certamente um gesto muito lindo de acolhimento a favor daqueles que anunciam a mensagem de Deus. E ela apresta-se a preparar a mesa para eles. Este "serviço de acolhimento" ocupa-a com muitos afazeres. O evangelista refere este pormenor para introduzir um ensinamento decisivo para aqueles que querem seguir Jesus. Marta também tem uma irmã, Maria que é descrita de maneira oposta a Marta. Enquanto que esta está tão ocupada com os seus afazeres ao ponto de quase se esquecer de Jesus, Maria, pelo contrário, é descrita estando sentada aos pés de Jesus e a escutar as Suas palavras. Os termos utilizados pelo evangelista são típicos para descrever a atitude do discípulo diante do mestre. É, pois, uma cena paradigmática: Maria é discípulo, precisamente porque escuta o Mestre. Perante a atitude de Maria, o evangelista mostra o contraste com a de Marta. Escutar Jesus é a primeira coisa que qualifica o discípulo. Marta está tão concentrada no seu trabalho que está longe de escutar Jesus. E, ressentida pela atitude de Maria, dirige-se a Jesus repreendendo-Lhe pelo desinteresse que tem por ela. É uma atitude reivindicativa de quem não se sente considerado. Podemos afirmar que Marta caiu na tentação do protagonismo. E tem ciúmes de Maria que está sentada aos pés de Jesus. Marta também pode pensar que não é correcto não fazer nada pelo hóspede. Na verdade, ainda não compreendeu quem é Jesus. Sempre que nos concentramos só em nós mesmos deixamos de escutar o Senhor. A melhor parte é aquela que ninguém pode tirar: a ligação com Jesus. Maria escolheu ficar aos pés do Mestre para O escutar. Marta aprendeu a lição que Jesus lhe deu e, continuando a acolhê-l'O em casa, abriu-Lhe também o coração. Quando Jesus Se aproximou para visitar o túmulo de Lázaro, já morto, foi ela quem viu primeiro o Mestre e correu ao Seu encontro. Tinha aprendido a correr para aquele Mestre que a sabia amar, à sua irmã e a Lázaro, como a nenhum outro. Hoje o Evangelho pede-nos também a nós para não nos deixarmos subjugar pelos nossos afazeres, mas para sairmos de casa e corrermos para aquele Mestre que nos pode salvar da morte.