Oração com Maria, Mãe do Senhor

Compartilhe Em

Memória de Santa Clara de Assis (+1253), discípula de São Francisco no caminho da pobreza e da simplicidade evangélica.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

O Espírito Santo virá sobre ti
Aquele que nascer de ti será santo.

Aleluia aleluia, aleluia

Ezequiel 2,8-3,4

«Tu, porém, filho de homem, escuta o que te digo. Não sejas rebelde como aquela gente rebelde. Abre a boca e come o que te vou dar.» Olhei e vi uma espécie de mão que se dirigia para mim, segurando um manuscrito enrolado. Abriu-o diante de mim: estava escrito nas duas faces; e lia-se: «Lamentações, gemidos e choros.»


Disse-me: «Filho de homem, come aquilo que te é apresentado, come este manuscrito e vai falar à casa de Israel.» Abri então a boca e Ele deu-me o manuscrito a comer. E disse-me: «Filho de homem, alimenta-te e sacia-te com este manuscrito que agora te dou.» Comi-o e ele foi, na minha boca, doce como o mel. Então, disse-me: «Filho de homem, dirige-te à casa de Israel, e leva-lhes as minhas palavras.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Eis, Senhor, os vossos servos:
Faça-se em nós segundo a vossa palavra

Aleluia aleluia, aleluia

O profeta recebe de Deus a missão mediante uma espécie de liturgia sacramental. Antes de mais, pede a Ezequiel para escutar e obedecer: "Criatura humana, obedece ao que te vou dizer; não sejas rebelde". Ele ainda não sabe qual será a missão que o Senhor lhe confiará, mas a condição prévia é a obediência à Palavra do Senhor. Somos chamados pelo Senhor antes de mais para acolhermos a Sua Palavra e pô-l'A em prática. É este o significado da fé. Tornamo-nos crentes quando, precisamente, nos entregamos à Palavra do Senhor, escudando-A fielmente e pondo-A literalmente em prática. É o que faz de nós crentes e, portanto, profetas, ou seja, anunciadores da Palavra do Senhor. Sem esta disponibilidade à escuta - que requer a humildade de quem se entrega a outro - não é possível receber nenhuma missão. Podemos dizer que a entrega a Deus não é apenas a condição da missão, mas também a substância da fé. O profeta vê a mão de Deus que se estende e lhe entrega um rolo escrito dos dois lados. Trata-se de um pergaminho escrito de um lado e do outro. O rolo contém aquilo que o Senhor quer que seja anunciado e que deve entrar na profundeza do coração e da própria carne do profeta. Deve alimentar-se daquele rolo. É o seu alimento verdadeiro. Deve-o ingerir, como o pão: "Criatura humana, come isto, come este rolo, e depois vai levar a mensagem à casa de Israel". O profeta não só não fala de própria iniciativa, como nem sequer é chamado a repetir uma lição abstracta ou a propagandear uma teoria. Ele deve alimentar-se das Sagradas Escrituras, ao ponto de se tornar, ele mesmo, palavra viva, isto é, anunciá-la com a sua existência, com os seus comportamentos. É assim que se mostra a sua autoridade. Aquele rolo escrito nos dois lados significa a leitura espiritual, isto é, ler as palavras da Bíblia, associando-as à vida de todos os dias: com efeito, atrás do significado literal do que está escrito, vela-se o espiritual, isto é, aquilo que o texto diz à minha vida, à comunidade para poder transformar o mundo no sentido desejado por Deus.