Oração pelos pobres

Compartilhe Em

Festa de São Lourenço diácono e mártir (+258). Indicou nos pobres o verdadeiro tesouro da Igreja. Memória de quem os serve em nome do Evangelho


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres, a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos, a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

Ezequiel 1,2-5.24-28

No quinto dia do mês - era o quinto ano do cativeiro do rei Joiaquin - a palavra de Deus foi dirigida a Ezequiel, filho do sacerdote Buzi, na Caldeia, nas margens do rio Cabar, e a mão do Senhor estava sobre ele. Olhando vi que do norte soprava um vento fortíssimo: uma nuvem espessa acompanhada de um clarão e uma massa de fogo resplandecente à volta; no meio dela, via-se algo semelhante ao aspecto de um metal resplandecente. E ao centro, distinguia-se a imagem de quatro seres viventes, todos com aspecto humano. Eu escutava o ruído das asas como o barulho das grandes torrentes, como a voz do Omnipotente, quando eles avançavam, ou como o ruído do campo de batalha; quando paravam, as asas baixavam. E, por cima da abóbada, que ficava sobre as suas cabeças, fazia-se um grande ruído; quando paravam, as asas baixavam. Pela parte de cima da abóbada, que ficava sobre as suas cabeças, estava uma coisa semelhante a pedra de safira, em forma de trono, e sobre esta espécie de trono, no alto, pela parte de cima, um ser com aspecto humano. E verifiquei que, do que parecia ser da cintura para cima, tinha como que um brilho vermelho, algo como fogo, à sua volta; e da cintura para baixo, vi como que fogo, espalhando um clarão à sua volta. O esplendor à sua volta parecia o arco-íris que aparece nas nuvens nos dias de chuva. Era algo que tinha o aspecto da glória do Senhor. Contemplei e prostrei-me com o rosto por terra. E ouvi uma voz que falava.


 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

A liturgia propõe-nos, a partir de hoje, alguns trechos do profeta Ezequiel. Dele conhece-se muito pouco. Era um homem casado e membro de uma família sacerdotal que se tinha formado no ambiente do Templo de Jerusalém, mas viveu o seu ministério de profeta sobretudo na diáspora babilónica. Nesta situação, o profeta teve a missão de ajudar o povo de Israel a compreender de novo a aliança com Deus. A vocação de Ezequiel é uma chamada que nasce no âmbito da nova situação de Israel. Deus fala sempre dentro da história dos homens: deseja transformá-la de uma condição de escravidão em história de salvação. O profeta, através da descrição de imagens extraordinárias que se sucedem, descreve uma experiência que o está a perturbar profundamente. Na verdade, o que Ezequiel descreve, é o que acontece - obviamente a cada um e de maneira diferente - a todo o crente. A chamada à conversão é sempre uma transformação profunda de vida. A missão que Ezequiel é chamado por Deus a realizar, é a de servir o projecto de salvação do Senhor para o Seu povo. A grandeza desta chamada faz "cair (o profeta) com o rosto no chão". É o sentido da grandeza da vocação a que o Senhor chama os profetas. E sê-lo-á também para os discípulos de Jesus que chegará a dizer: "quem acredita em Mim, fará as obras que Eu faço, e fará ainda maiores do que estas" (Jo 14, 12). No momento desta chamada, somos exortados a redescobrir o "temor do Senhor", isto é, a não aviltar a grande missão que o Senhor confia aos discípulos.