Sábado Santo

Compartilhe Em

Sábado Santo
Memória de Santo Estanislau, bispo de Cracóvia e mártir (†1079). Defendeu os pobres, a dignidade do homem e a liberdade da Igreja e do Evangelho.


Leitura da Palavra de Deus

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Todo o que vive e crê em mim
não morrerá jamais.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

São Lucas 23,50-56

Um membro do Conselho, chamado José, homem recto e justo, não tinha concordado com a decisão nem com o procedimento dos outros. Era natural de Arimateia, cidade da Judeia, e esperava o Reino de Deus. Foi ter com Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Descendo-o da cruz, envolveu-o num lençol e depositou-o num sepulcro talhado na rocha, onde ainda ninguém tinha sido sepultado. Era o dia da Preparação e já começava o sábado. Entretanto, as mulheres que tinham vindo com Ele da Galileia acompanharam José, observaram o túmulo e viram como o corpo de Jesus fora depositado. Ao regressar, prepararam aromas e perfumes; e, durante o sábado, observaram o descanso, conforme o preceito.


 

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Se tu creres verás a glória de Deus
diz o Senhor.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Uma pessoa boa e justa não aderiu à decisão de matar Jesus tomada pelo Sinédrio. Chamava-se José de Arimateia. Tinha sido convocado para a sessão da manhã onde Jesus seria julgado e condenado mas ele, com grande coragem, não aderiu à decisão. Um outro José entra, desta vez no fim, da vida de Jesus. O primeiro salvou-O de Herodes, o segundo desce-O da Cruz, envolve-O num lençol e depõe-n'O num sepulcro novo. A ele se juntam também as mulheres que tinham seguido Jesus. Diante do sepulcro, diante da dor deste mundo, diante da morte, diante do sono dos discípulos, diante do sofrimento, fica só a fé nas palavras de Jesus que Se entregou ao Pai. Escreve Lucas: "Era o dia da preparação da Páscoa e o sábado já estava a começar". Talvez não fossem só as luzes de uma cidade que acordava mas também as de uma hora nova, de um dia novo para Aquele Homem e para o mundo. Perante a imensidão da dor, quem não adere à decisão de matar e de oprimir o Homem, não é chamado só para chorar mas para acreditar, para rezar, para esperar numa hora diferente, para dar o que tem, até mesmo só o lençol da misericórdia ou o sepulcro para a sepultura. A tradição da Igreja - baseada nas páginas da Escritura que falam da descida de Jesus no inferno - quer que neste dia, Jesus tenha descido no "inferno", o lugar onde vivem os mortos, para os tomar, a começar por Adão e Eva e levá-los consigo para o Paraíso. É o ícone da Páscoa venerada na tradição ortodoxa. É daqui que começa a ressurreição, da descida de Jesus no inferno, nos infernos deste mundo, para arrancar das mãos da morte todos os que foram violados pelo mal e mortos. O Ressuscitado quer levá-los com Ele para o Céu. A eles e a muitos mais ainda, Jesus continua a dizer: "Hoje mesmo, estarás comigo no Paraíso".