Oração da vigília

Compartilhe Em

Memória dos Santos Addai e Mari, fundadores da Igreja caldeia. Oração pelos cristãos no Iraque.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Todo o que vive e crê em mim
não morrerá jamais.

Aleluia aleluia, aleluia

Actos dos Apóstolos 18,23-28

Depois de aí ter passado algum tempo, voltou a partir e percorreu sucessivamente a Galácia e a Frígia, fortalecendo todos os discípulos. Entretanto, chegara a Éfeso um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloquente e muito versado nas Escrituras. Fora instruído na «Via» do Senhor e, com o espírito cheio de fervor, pregava e ensinava com precisão o que dizia respeito a Jesus, embora só conhecesse o baptismo de João. Começou a falar desassombradamente na sinagoga. Priscila e Áquila, que o tinham ouvido, tomaram-no consigo e expuseram-lhe, com mais precisão, a «Via» do Senhor. Como ele queria partir para a Acaia, os irmãos encorajaram-no e escreveram aos discípulos, para que o recebessem amigavelmente. Quando lá chegou, pela graça de Deus, prestou grande auxílio aos fiéis; pois refutava energicamente os judeus, em público, demonstrando pelas Escrituras que Jesus era o Messias.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Se tu creres verás a glória de Deus
diz o Senhor.

Aleluia aleluia, aleluia

É a única vez que nos Actos se cita Apolo. Paulo fala dele na Primeira Carta aos Coríntios escrita em Éfeso durante a sua terceira viagem e, portanto, depois da actividade de Apolo entre os cristãos de Corinto. A opinião que Paulo expressa na Carta está em linha com quanto é afirmado neste trecho dos Actos: Apolo é «um homem eloquente, instruído nas Escrituras» e a sua acção apostólica era «com muita convicção». No entanto, também sabemos que Apolo foi motivo de preocupação para o apóstolo por causa das duas facções que se tinham criado entre os cristãos de Corinto, uma das quais tomava o partido de Paulo e a outra de Apolo. É importante colher a paixão de Paulo pela unidade da comunidade cristã. Na sua Carta, Paulo elogia também a pregação de Apolo, mas adverte os cristãos que a soberba, que está sempre à espreita no coração dos crentes, é um veneno perigoso que divide a comunidade chegando ao ponto de a destruir. É significativa a acção de Priscila e Áquila que acolhem Apolo em casa deles e ajudam-no a compreender ainda mais a mensagem evangélica. As disputas, as divisões que surgem no âmbito da comunidade cristã devem encontrar solução dentro da comunhão, no horizonte da fraternidade, tendo o objectivo primário da unidade da própria comunidade. A perseverança na vida da comunidade, mesmo com as inevitáveis incompreensões e tensões e a preservação da unidade é a condição para compreender a verdadeira profundidade do Evangelho. Não é suficiente a simples doutrina ou a habilidade dialéctica para se ser evangélicos. E é significativo que Lucas, nesta mensagem, nomeie Priscila antes de Áquila como que a querer realçar a acção pastoral que as mulheres desempenhavam nas comunidades paulinas. É uma indicação preciosa também para as comunidades cristãs de hoje que requer uma maior presença da mulher na vida da Igreja.